7 pecados contra a inovação (IDEO)

Na maioria das empresas existe uma tensão entre mentes guiadas pela criatividade e mentes orientadas por números e tabelas. A maioria dos cargos de alto nível é dominada pelo último tipo, geralmente business monkeys que adoram novos métodos e vocabulários e estão dispostos a investir grandes somas para implementá-los, na crença que processos funcionem como máquinas: entra dinheiro de um lado, brota inovação do outro. O problema é que isso não é o que acontece.

Ryan Jacoby, IDEO NY, explora o tema em sua palestra “Leading Innovaion: Process is no Substitute”. Seu ponto principal é que processos não garantem resultados e, em alguns casos, até geram um falso sentimento de segurança. Ryan listou o que considera os “sete pecados mortais da inovação”:

1. Pensar que a resposta está aqui dentro, ao invés de lá fora

Insights e idéias inovadoras não vão aparecer no seu próximo email ou reunião.  As respostas e oportunidades estão fora da empresa, onde as pessoas vivem.

2. Falar mais do que fazer

Não é dentro de uma rotina de reuniões e discussões que as idéias vão sair do papel. Idéias precisam ser debatidas, mas é através da implementação, da construção de protótipos rápidos que elas poderão se desenvolver em algo construtivo.

3. Executar ao invés de explorar

Não é acelerando processos que se obtêm resultados. Idéias precisam ser desenvolvidas, testadas, redesenhadas e reavaliadas até que cheguem ao ponto de serem executadas. Nesse ponto é fundamental o trabalho constante com o usuário final, para que se tenha certeza que suas necessidades sejam atendidas.

4. Ser o experto

Se você não está disposto a errar, não vai conseguir liderar nenhum processo criativo. Inovar é desenvolver idéias que ainda não tem seu lugar no mundo. Se as pessoas querem apenas idéias que não parecem absurdas, é bem provável que ela não seja inovação significativa.

5. Ser impaciente

Inovação leva tempo, mas na maioria das vezes as expectativas são de resultados surreais em cronogramas absurdamente curtos. É preciso ser realista e objetivo quanto a prazos e expectativas.

6. Confundir interdisciplinar com funções misturadas

O ideal é trabalhar com pessoas que tenham diferentes backgrounds, não com pessoas com funções misturadas. Essa receita funciona muito bem na IDEO, e é o que garante uma diversidade de pontos de vista sobre o mesmo assunto.

7. Acreditar que o processo vai salvar você

Inovação não é algo que se compra. Alguns produtos e métodos são úteis, mas não substituem uma liderança focada em inovação. É bom ter um processo que facilite a inovação, mas ele sozinho não é uma garantia de sucesso.

Leia o artigo original de Helen Walters na fastcodesign.com

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s