Implantando a eco-inovação

Eco-inovação pode ser um conceito pouco explorado, porém cases de sucesso desmonstram o caminho para o sucesso. Os conceitos a seguir são boas práticas para qualquer um interessado em explorar a inovação sustentável.

Assim como para qualquer forma de inovação, o primeiro passo é  manter o pensamento fora da caixa. Um dos maiores desafios da inovação são aqueles profissionais que estão enraizados demais nas políticas da empresa, capazes de dar um milhão justificativas do porque qualquer idéia que fuja um pouco do convencional não irá funcionar. Para conseguir abordar uma idéia nova, é preciso dar um passo para trás e ver a situação com os olhos do consumidor.

A seguir, é preciso pensar além do “eco”. A Nike fez exatamente isso ao reformular seu Air Jordan como o primeiro tenis de basquete sustentável. Ao invés de explorar a vantagem apenas como “eco-função”, ela divulgou como pura tecnologia Nike. Assim ela trouxe o conceito para o DNA da marca, ao invés de para apenas um produto. É uma forma de demonstrar como explorar uma atitude que pode trazer benefícios para a marca além da jurisdição da sustentabilidade.

Na maioria das vezes a inovação vem da união de duas idéias que não pareciam combinar, como doce com queijo. É comum obter resultados surpreendentes através da colaboração entre pessoas de áreas muito diferentes. Assim como empresas utilizado de ferramentas como o GreenXchange, e dividindo idéias para acelerar seus processos de eco-inovação. Vale a pena também ampliar sua network, apelando para a inteligência coletiva da própria empresa.

Sustentabilidade é uma jornada sem fim, portanto é preciso ser transparente sobre todos os problemas que ainda precisa solucionar ao invés de apenas celebrar o que já foi feito de bom. Ser transparente e aberto à críticas sempre resultará em melhorias ao produto, além de ampliar seu suporte.

Outra dica é apostar em vários projetos menores ao invés de apenas um grande. Um portfólio ideal de inovação é dividido entre quatro áreas: diferenciação, evolução, revolução e exploração. Uma combinação entre as quatro são essenciais no caminho da inovação, mas o mais importante é nunca apostar todas as fichas em apenas uma idéia.

Ainda é necessário fazer da eco-inovação uma condição básica para o sucesso de todos. Não adianta criar uma equipe responsável por sustentabilidade, ou ainda um cargo gerencial para a área. Isso não faz dela uma condição geral da empresa, mas sim um remendo. Empresas como a Patagonia e a Seventh Generation incorporaram a sustentabilidade em todos os níveis da empresa, e seu progresso é medido pelas idéias que são trazidas a mesa.

Finalmente, deixe que a inovação seja guiada pela sustentabilidade. Com um objetivo comum – ser lucrativo em um mundo onde podemos viver com abundância, mas sem esgotar os recursos naturais das gerações futuras – as inovações terão sucesso garantido.

Leia o texto original de Marc Stoiber em eco innovation: the next business mega trend.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s